24 coisas que você pode aprender apenas viajando

Existem coisas que você pode aprender apenas viajando e esse conhecimento você não pode dispensar. Entenda como colocar o pé na estrada pode fazer você ver o mundo diferente.

Dizem que quem viaja se torna mais culto e conhece lugares únicos. Eu concordo com isso, principalmente depois que descobrir que existem coisas que você pode aprender apenas viajando.

A cultura diferente, as pessoas e querer ver as coisas de forma diferente contribuem para esse aprendizado. As experiências que vivenciamos são únicas e servem de lição, algumas vezes positivas e em outras nem tanto.

SIMULE SEU SEGURO VIAGEM COM 10 SEGURADORAS

Qual é o seu destino de viagem?

Solicitar

A verdade é que fazer as malas e ir para um destino diferente é muito bom e quanto mais lugares conhecer será melhor.

Durante as minhas viagens aprendi coisas incríveis, veja alguns delas.

24 coisas que você pode aprender apenas viajando

Imagem: Getty

1 – Momentos são mais importantes que coisas materiais

Ver aquele pôr do sol incrível no alto de uma montanha vale muito mais do que qualquer coisa que o dinheiro pode comprar.

Aprendi que os momentos que eu vivencio são únicos e não saem mais da minha memória, que trocaria qualquer bem material por uma experiência que poderei levar comigo para qualquer lugar.

2 – Viajar sozinho não significa que estará só

Um dos meus maiores receios era viajar sozinha e ficar durante toda a viagem sem nenhuma companhia.

Tive receio na primeira vez, mas, logo isso passou. Percebi que poderia fazer os meus horários e que estava mais aberta a conhecer pessoas.

Consegui fazer novos amigos na minha viagem e em nenhum momento me senti só.

3 – Mesmo sem falar a língua do local existe comunicação

Claro que se dominar o idioma local será muito mais fácil de se comunicar, mas, isso não deve te impedir de viajar.

Os gestos podem ser bastante eficientes quando você precisa de ajuda e ter o endereço de onde quer ir por escrito também.

Mas, se nada disso funcionar tenha sempre um celular com você, hoje existem aplicativos de tradução que vão te ajudar.

4 – As coisas acontecem de repente

Você pode estar se sentindo meio sozinha em um determinado dia e de repente faz amizade com um grupo de viajantes.

Ao passar pela rua é abordada para conhecer um restaurante e acaba se surpreendendo com o local.

As coisas acontecem sem que a gente espere, por isso, não deixe que as oportunidades escorram pelos seus dedos.

5 – Se perder é uma oportunidade

Se perder no meio do caminho e descer no ponto errado não precisa ser algo para que você se desespere.

Eu sempre busco aproveitar a viagem e ver as coisas como algo positivo. Se eu estou em um lugar que não tinha programado, ótimo!

Sempre consigo descobrir alguma coisa nova e conhecer um pouco mais da cultura local.

6 – Não se irritar facilmente

Confesso que nunca tive muita paciência para algumas coisas, ainda mais quando não saíam como eu programava. Mas do que adiantava?

O voo atrasar, o quarto de hotel não ser exatamente como informava no site e outras coisas vão acontecer. Aí nós temos duas opções: nos irritarmos e tornar a viagem desagradável ou relevar.

Aprendi que é melhor deixar de lado, se alguma coisa não está tão boa, outras vão acabar compensando.

7 – A sua zona de conforto te impede de fazer as coisas

Muitas vezes por comodismo e por não querer se arriscar acabamos deixando de fazer as coisas e aproveitar o novo.

Viajando não tem como, estamos sempre em um lugar que não conhecemos bem e não temos onde nos refugiar.

Somos forçados a sair da nossa zona de conforto e descobri que isso é uma coisa muito positiva.

8 – Não se assustar com o desconhecido

No começo, quando eu viajava sempre ia meio receosa com o que poderia encontrar. Depois aprendi que o desconhecido pode ser muito mais interessante do que eu imaginava.

Aprendi a me jogar nas novas experiências e agora quando menos eu sei sobre um local mais ele me fascina por conta das experiências passadas que eu tive.

9 – Que as pessoas fazem as mesmas coisas em lugares diferentes

O mundo é gigante, os lugares são diferentes, mas, as pessoas são apenas pessoas.

Não importa onde esteja, o costuma pode até ser diferente, mas, as pessoas estão trabalhando, as crianças indo para a escola, viajantes chegam e vão.

Apesar de tudo parecer tão diferente, se observar bem vai perceber que as pessoas têm rotinas bem parecidas em qualquer lugar do mundo.

10 – É possível viver com pouco

Quando você viajar apenas com uma mal e descobre que é possível sobreviver com ela, fica pensando ara que possui tantas coisas.

Não é preciso mais do que algumas roupas e objetos pessoas para que possa aproveitar o mundo e no meu cotidiano essa regra também é válida.

Tirando a alimentação, tudo o que você precisa pode estar dentro de uma mala. Depois de descobrir isso acabei me livrando de um monte de coisas que só estava se acumulando em minha casa.

11 – Algumas pessoas te fazem mal

Tem gente que parece que suga as nossas energias, que nos querem ver mal o tempo todo.

Quando se afasta delas é que consegue perceber isso. A grande vantagem é que consegue perceber quem é que te faz mal.

Assim, quando for viajar em grupo vá apenas com pessoas que gosta e durante o passeio não precisa se aproximar dos novos “amigos” se achar que eles não te farão bem.

12 – Só terá histórias se arriscar

É aquela velha história de sair da zona de conforto. Se não der um passo em direção ao novo não terá novidades para contar e se lembrar.

Está cansada da rotina casa, trabalho, trabalho, casa? Então é hora de ousar, pôr o pé na estrada e voltar com uma rotina e história bem diferente.

13 – Sempre terá novas experiências para viver e coisas para aprender

Mesmo que já tenha ido para um destino várias vezes, cada vez que volta descobre algo novo.

Não se consegue conhecer um lugar por completo muitas vezes morando nele, imagine fazendo viagens curtas.

Não recuse uma viagem apenas porque já conhece a cidade, te garanto que sempre vai descobrir coisas novas. Buenos Aires a cada viagem parece que é a primeira vez que estou lá, sempre conheço lugares que não imaginava que existiam.

14 – Vale a pena ficar mais dias em um país para conhecê-lo melhor

Eu falei que sempre existem coisas novas para descobrir e aprendi que em 2 ou 3 dias não se conhece muito coisa de um local.

Nas minhas primeiras viagens eu programava ir para muitos lugares em pouco tempo, voltava dizendo que tinha passado por várias cidades ou países, só que eu não conhecia quase nada sobre eles.

Com o tempo aprendi que é melhor ficar uma semana pelo menos em cada lugar, assim consigo explorar melhor cada cantinho e conhecer os costumes locais de verdade.

15 – Aprender que precisa tomar decisões

Eu ficava muito em cima do muro, sempre deixava que os outros escolhessem o passeio, o que íamos comer e assim por diante.

Na primeira viagem que fiz sozinha passei um aperto, não tinha quem decidisse por mim, então tive que mudar.

Aprendi a tomar as minhas próprias decisões e sem que fosse influenciada por ninguém.

Isso mudou a minha rotina em casa e no trabalho, me senti um pouco mais responsável e que estava ditando o meu próprio caminho.

16 – Controlar melhor o orçamento

Gastar descontroladamente pode se tornar um problema quando se está viajando e eu me dei conta disso rápido.

A ideia é aproveitar o lugar e voltar para casa sem dívidas por isso antes de fazer as malas sempre penso quanto poderei gastar.

Aprendi que o ideal é separar uma quantia para gastar todo os dias, assim vou ter dinheiro para comer passear e se for o caso comprar alguma lembrancinha.

Gastar acima do planejado nem pensar, não quero voltar e ter que ficar me matando para pagar cartão de crédito ou juros no banco. Afinal, já sei que não é preciso muito para viver.

17 – É possível ficar off-line

Confesso que era meio que uma viciada digital, não ficava um dia sem acessar as redes sociais e entrar na internet.

Viajando para alguns lugares em que o sinal da internet era ruim ou não funciona, percebi que é possível ficar desconectada.

Dessa forma comecei a apreciar melhor os momentos e notar o que havia a minha volta. Eu até viajo com o celular, mas, como auxiliar de viagem para usar matar e aplicativos de tradução.

18 – Comidas diferentes não são ruins

As vezes não conhecemos muito bem uma comida e achamos que ela é ruim, mas, só teremos certeza depois de experimentar.

Posso dizer que já comi algumas coisas estranhas pelo mundo como carne de cobra, algas, larvas e outras coisas.

Nem todas elas são ruins, apenas tinha uma impressão errada, só que se eu não tivesse experimentado não saberia.

Agora me permito pelo menos provar para saber se eu gosto, mas, confesso que tem sabores que não me agradam.

19 – Comentários preconceituosos na maioria das vezes não são verdades

Você já deve ter ouvido falar que os europeus não tomam banho ou que os chineses são porcos.

Eu já ouvi muita coisa sobre outras culturas, inclusive que as pessoas não eram simpáticas com os visitantes.

A maioria era tudo mentira, quem diz essas coisas provavelmente não conhece ou não se permitiu conhecer um pouco mais sobre a cultura local. Agora vou de mente aberta, sem nenhum tipo de pré conceito.

20 – Nem só de turismo vivem as cidades

Não entendo porque só fazer passeios turísticos se os locais têm muito mais a oferecer. É claro que em Paris não pude deixar de visitar o Louvre, mas, aproveitei para ir em parques não muito conhecidos e restaurantes que não entrem no roteiro dos viajantes.

Além de me misturar com os moradores da cidade consegui economizar, afinal, comer em menos badalados é bem mais barato.

21 – Roteiros alternativos são surpreendentes

Existem tantos lugares no mundo, então por que escolher sempre os mesmos? Os locais mais badalados são interessantes, mas, se fala tanto deles que não surpreendem tanto.

Que tal escolher um ponto aleatoriamente no mapa. Posso dizer que o que vai encontrar é muito mais interessante e não saberia nem mesmo procurando em sites especializados em turismo.

22 – Minha cultura é válida no meu país

Tive que aprender a me adaptar as mais diferentes culturas. Já pensou em ter de comer com as mãos? Ou deixar comida no prato para indicar que estava bom e já está satisfeita?

Tive que fazer tudo isso, não porque eu estava acostumada, mas, para não afrontar a cultura do país que estava visitando. E posso dizer que não foi ruim, só foi diferente.

23 – É preciso viajar com um seguro viagem

Ter um seguro viagem me proporciona um apouco mais de tranquilidade e já me fez economizar.

Eu estava nos Estados Unidos e depois de fazer uma trilha pela floresta precisei ir ao hospital tomar uns pontos, pois tinha me cortado em uma pedra.

Se não tivesse um seguro viagem a despesa médica e os remédios iam ter que sair do meu bolso e não foi barato.

Só que como já tinha contratado um, só informei a seguradora e fui reembolsada das despesas, um alívio para o orçamento.

24 – Não é só no Brasil que existem os espertinhos

Dizem que o Brasil é o país dos espertos, mas, não é bem assim. Em alguns lugares quando percebem que você é turista tentam se aproveitar.

Andar de táxi, por exemplo, pode ser mais caro. Por isso esteja sempre atento e não aceite pagar nenhum valor sem negociar.

Você terá experiências únicas e tem coisas que você pode aprender apenas viajando, por isso não tenha medo de se aventurar. Faça as suas malas para conhecer novas culturas e lugares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.